Atenção Primária à Saúde, o cuidado centrado nas pessoas.

Publicado em:
Atenção Primária à Saúde

Índice

A Atenção Primária à Saúde, tem como foco o cuidado centrado na pessoa. Mas isso já não é normal em um atendimento médico? Sim, porém há algumas diferenças aplicadas exclusivamente na Atenção Primária. Segundo a Organização Mundial de Saúde – OMS, esse setor oferta atenção integral o mais próximo possível do ambiente cotidiano dos indivíduos, famílias e comunidades. Isso inclui um espectro de serviços que vão desde a promoção da saúde (por exemplo, orientações para uma melhor alimentação) e prevenção, até o tratamento de doença agudas e infecciosas, o controle de doenças crônicas, cuidados paliativos e reabilitação.

Os principais fatores da APS no Brasil segundo a Cartilha de Serviços do Ministério da Saúde são:

1) Acesso  – primeiro contato: implica acessibilidade e utilização dos serviços
pelas pessoas para cada problema novo ou para cada novo episódio do
problema já existente.

2) Longitudinalidade: é a existência de uma fonte continuada de atenção,
assim como sua utilização ao longo do tempo. Além disso, a ligação entre a
população e sua fonte de atenção deve refletir-se em relações interpessoais
intensas que expressem a identificação mútua entre as pessoas atendidas e
os profissionais de saúde.

3) Integralidade: a atenção primária deve organizar-se de tal forma que o cidadão
tenha todos os serviços de saúde necessários, identificando e proporcionando
os serviços preventivos, bem como serviços que possibilitem o diagnóstico e
o tratamento das doenças, estabelecendo também a forma adequada para a
resolução de problemas, sejam orgânicos, funcionais ou sociais.

4) Coordenação: o serviço de APS deve ser capaz de integrar todo o cuidado
que o cidadão recebe nos diferentes níveis do sistema de saúde.

5) Atenção centrada na família: é o conhecimento dos
Carteira de Serviços da Atenção Primária à Saúde fatores familiares relacionados à origem e ao cuidado das doenças.

6) Orientação comunitária: é o conhecimento, por parte do provedor da atenção,
das necessidades da comunidade por meio de dados epidemiológicos e do
contato direto com a comunidade; envolve também o planejamento e a
avaliação conjunta dos serviços.

7) Competência cultural: é a adaptação e capacidade do provedor do cuidado
(profissional de saúde) em facilitar a relação com a população que apresenta
características culturais especiais.

Em resumo, a APS tem um foco voltado para a prevenção da doença, com um olhar mais humanizado para o paciente avaliando todo seu histórico de convivência, família e trabalho. A integralidade do atendimento abrange aspectos físicos e emocionais, além de hábitos de alimentação e sedentarismo. A longitudinalidade permite que a relação médico e paciente seja duradoura e de confiança.

 A Equipe Multidisciplinar na Atenção Primária à Saúde

Um dos destaques da APS é a equipe multidisciplinar. A proposta é que a equipe mínima de Atenção Primária à Saúde deve ser multiprofissional e interdisciplinar, composta por, no mínimo, médico de família e comunidade ou médico especialista em clínica médica com capacitação e experiência em APS; enfermeiro especialista em saúde da família ou generalista; e outro profissional de saúde de nível superior. Caso a carteira de serviços da APS inclua procedimentos, um segundo profissional de enfermagem torna-se obrigatório, segundo regras da Agência Nacional de Saúde.

Podem ser acrescentados a essa composição outros profissionais de saúde de acordo com as condições de saúde abrangidas e a carteira de serviços da APS, como nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicólogos, assistentes sociais, etc. Profissionais de saúde com outras formações serão necessários, de acordo com as especificidades de cada projeto. Por exemplo: caso a APS contemple saúde bucal, um cirurgião dentista na equipe torna-se obrigatório, proporcional ao número de beneficiários de planos com odontologia.

A especialidade de medicina de família tem aumentado bastante nos últimos anos, cada vez mais profissionais têm optado por um trabalho de cuidado na ponta do atendimento. Em dezembro, a AsQ gravou um Podcast com o Dr. Raphael Jinkings Sant’Ana sobre como atua o médico de família e comunidade, e porque ele fez essa opção de carreira. Confira aqui o episódio no spotify e o texto no blog. 

A AsQ com foco no cuidado

Cada vez mais operadoras de saúde tem oferecido os serviços de atenção primária, à Agência Nacional de Saúde lançou em 2018 um programa de incentivo para que operadoras de saúde desenvolvessem  um cuidado cada vez mais qualificado aos seus beneficiários, através da implantação de redes de atenção ou linhas de cuidado em atenção primária certificadas por entidades acreditadoras reconhecidas pela ANS.

A AsQ prioriza esse sistema de atendimento e conta com uma clínica própria na cidade de Florianópolis – SC, e oferece o serviço em mais três clínicas que atendem diretamente os colaboradores das empresas contratantes.

Para explicar melhor sobre todo o método de atendimento, sobre essa nova forma de pensar e investir em saúde com foco no cuidado, a AsQ lançou uma Websérie com doze episódios que abordam os principais pontos da APS.

 

Compartilhe esse post!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no skype
Compartilhar no reddit
Compartilhar no pinterest

Assine nossa

Newsletter!

Veja os

Destaques

A enfermagem no cuidado integral à saúde
A enfermagem no cuidado integral à saúde
Cláudia Conserva, Diretora de Gente e Gestão da AsQ
Valorização do Colaborador e as ações da AsQ em Gestão de Pessoas.
AsQ Talks 01- A fórmula do sucesso do Grupo Boticário na gestão de saúde do colaborador
Grupo Boticário na gestão de saúde do colaborador - AsQ Talks 01

Siga-nos nas

Redes!